sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Você não enxerga

Que o mundo é diferente
Daquilo que esperávamos que fosse
Que as pessoas não são
aquilo que gostaríamos que fossem.

Eu vejo o berro
Eu ouço o abismo
Eu sigo na solidão.
Você não pode
Você luta em vão

O passarinho tinha um nome
Voava distante, sorria bastante

Queria eu que fôssemos a flor
de onde ele tiraria as sementes

que germinariam seus sonhos.

Mas quando a noite voltar a ser tranqüila, eu direi que te amo.


Eu