quarta-feira, 1 de julho de 2009

Sobre o que é...

Disseram-me a vida é curta.
Não sabendo se assim a sentia,
Eu apenas ouvi.
Dei um leve sorriso
De consentimento piedoso
E segui em frente.

Falaram-me também sobre a dor da perda
De um abraço saudoso
De um beijo com carinho
De quando ficamos sozinhos
.....
...
Contaram-me além disso.
....Sobre tantas outras coisas.
Sobre a beleza da luta
Na instância da vida;
que o amor machuca
E as pessoas mentem
....Sobre tantas outras cousas.
Da felicidade,
Quão pouco dura
Disseram-me
eu sei e eu sabia
Aos montes.
Falaram e falaram sem parar
Das virtudes, vicissitudes e medo
Do amanhã e de alguém
Que nunca chegou
E daquilo
porque não partiu.

Então contaram-me sobre a morte.
Que ninguém sabe o que é.
Que querem saber
Que criam razões
Que procuram esquecer.
Sim,
me disseram
que as pessoas se esquecem
Que amam
Que sonham
E aí,
que choram.
(E) do esquecimento,
Me contaram que é bruto
O sentimento.

Falaram-me da conquista
E da amizade.
Do sentimento mais sublime
E da coragem
Do cúmplice e do parceiro
Que não tiveram
Ou que se esqueceram.

Mas ninguém soube me explicar
De tantos dizeres
O que é a verdade.
Ninguém soube me dizer de onde vem
Nem me falar como vêem
As tantas coisas que dizem.

ninguém nunca me contou
o tamanho da angústia e do sofrimento,
ou de como tapar o vazio,
e da I m e n s a solidão
de quem
da intenção de haver dito o que viu,
e do repetir,
simples e apenas,
de tudo aquilo o que ouviu,
nunca sente.